ENTREVISTA: PK fala sobre amadurecimento, conquistas e Lollapalooza

Se você curte música nacional, com certeza já escutou e se viciou em alguma do PK. O cantor, que descobriu o seu gosto por música ainda novinho, se tornou uma das referências do rap/funk em 2019, e entrou em 2020 com tudo. Ele já lançou parcerias com grandes nomes e ainda é uma das atrações do maior festival de música, o Lollapalooza.

O Febre Teen conversou com o carioca, que revelou que o ano passado realmente foi muito especial e que foi também quando começou de verdade a sua carreira solo. Claro que a luta pra chegar onde ele tá não foi fácil, mas assim que começou a trabalhar em suas músicas e assinou com a Warner Music Brasil, a carreira do cantor decolou muito rápido.

“Foi o ano de começo da minha carreira solo e é muito gratificante. É uma coisa que eu sempre sonhei. A minha base é o rap e o funk, mas a gente sempre quis trazer outros gêneros também, dar uma misturada. Acabou que conseguimos fazer muito bem e ganhamos um reconhecimento que lutamos bastante pra conseguir. Então foi um ano de muita felicidade e realização no trabalho.”

Ele teve contato com a gravadora quando fazia parte do grupo Class A, e antes de se jogar na carreira solo e lançar o seu primeiro single de sucesso, o cantor já tinha trabalhado com outros artistas, como é o caso da música “Barcelona”, no projeto Papasessions. Mas o PK estourou mesmo com hit “Quando a Vontade Bater” ao lado do PK Delas, e depois disso foi sucesso atrás de sucesso.

Mas antes de entrar para a indústria da música, ele focava no seu freestyle e rimas pra competir em batalhas. Recentemente, o carioca reviveu um pouco do passado e foi pra Batalha da Aldeia, mas disse em seus Stories que estava indo com uma visão diferente da que tinha alguns anos atrás. Claro que bateu a curiosidade, e nós perguntamos o que mudou pra ele na questão de visão e mente.

“O que eu quis dizer que mudou em relação a isso, é porque na época eu era muito novo, eu tinha uma outra cabeça e muito menos responsabilidade. Era uma mente fechada por conta do acesso que eu tinha na época.”

O PK completou falando que hoje em dia tem noção das lutas das pessoas em diversos âmbitos, e que tem uma mente muito mais aberta – sensato que fala, né – e decidiu usar isso na sua volta pra batalha. Esse comentário só mostra o quanto as pessoas evoluem com o tempo e como é importante a gente ensinar quem quer aprender a se desconstruir e não tacar pedras pelas costas.

“Nessa volta, eu tive muito mais noção dessas lutas diárias que as classes no nosso país têm, de todas as questões, tanto racial quanto de orientação sexual. Então me tornei uma pessoa mais aberta e isso acaba me privando de várias coisas que eu não quero na batalha, coisas que o pessoal gosta que grita, mas de acordo com o que eu entendo de mundo hoje, não é necessidade falar. Não acho que seja bacana.”

Mas todo esse caminho de mudanças e lutas fizeram PK chegar no sucesso. O cantor já gravou diversos hits e parcerias com artistas que bombam há muito tempo, como o Belo e a Ludmilla. Imagina só estourar e logo em seguida trabalhar com uma galera de peso!

Alguns meses depois de se jogar na carreira solo, ele lançou uma das suas maiores parcerias, a música “Indomável”. O carioca conseguiu mesclar o seu rap e batidas de funk com as principais características do Belo, o pagodinho e o samba.

“Com o Belo foi uma parada muito doida porque são gêneros completamente diferentes. Foi uma honra muito grande porque é um cara que já fazia sucesso no Brasil todo, uma lenda, foi muito bom conhecer ele. O Belo é um cara muito maneiro, muito incrível, e é uma mistura que me ensinou muita coisa pela experiência dele.”

Já com a Ludmilla, ele ousou e foi para um lado mais sensual. A parceria “Do Jeito Que Tu Gosta” faz parte do primeiro EP do cantor, o “ImPKvel”, e junta os seus dois gêneros em um hit e música chiclete. No clipe, os artistas aparecem em um clima íntimo, com pegação e cenas quentes, mas tudo não passou de um trabalho incrível dos dois.

“A Ludmilla tá dominando não só o Brasil, mas até lá fora agora. Braba das brabas. Considero ela muito minha amiga, uma pessoa muito incrível, muito maneira, talento que não dá nem pra discutir né. E quando ela gostou da minha música, porque eu mostrei pra gente fazer junto, foi uma felicidade incrível. Trabalhar com ela foi muito bom. Ela gravando a música foi uma das pessoas mais brabas que eu já vi.”

E como o mesmo contou e mostrou, ele gosta de inovar e misturar os gêneros musicais. Mas se engana quem pensa que ele só curte funk e rap. Hoje em dia, esses dois ritmos são os que ele menos escuta, até porque o cantor quer fazer um trabalho diferente e não quer ser influenciado. E choquem, o que o PK mais escuta é rock.

“Pra não ficar uma coisa muito parecida, o que eu tenho mais escutado hoje em dia é rock. To ouvindo aqui duas músicas, vou até pegar o nome agora. Essa música aqui é antigona, ta na minha cabeça desde que eu tava voltando da Batalha da Aldeia. Eu tava ouvindo Michael Jackson e tals e acabei ouvindo essas duas músicas: “September” e “Let’s Groove” (as duas do Earth, Wind and Fire).”

E depois de ter se tornado a revelação de 2019, PK será uma das atrações nacionais do Lollapalooza 2020. Ele ficou muito feliz quando soube que cantaria em um dos maiores festivais de música, e claro que está ansioso pra ver tudo que vai rolar por lá.

“Eu fiquei muito feliz, é uma parada surreal estar cantando em um dos maiores festivais que existem. Eu tô muito ansioso pra sentir a energia que vai ter lá na hora, não só a do show mas a do festival inteiro. Estar lá todos os dias vai ser uma parada muito mágica, vai ser muito bom, eu to muito ansioso.”

(Divulgação/Lollapalooza)

Quando o Lollapalooza anunciou o seu lineup completo, o nome do cantor apareceu ao lado de outros músicos brasileiros, como a própria Ludmilla, o Kevin O Chris, o Filipe Ret e mais uma galera. Todo mundo ficou se questionando se os artistas iriam se apresentar juntos ou se cada um teria o seu próprio set, mas o PK disse que eles ainda vão se reunir para entender e ver o que vai acontecer. Só podemos dizer que estamos mega ansiosos pra saber como vai ser essa apresentação e que estamos muito felizes em ver o Lolla valorizando artistas do funk e rap. Para o cantor, os gêneros estão batendo de frente com outros que sempre dominaram as plataformas digitais e a mídia por conta do investimento, e isso é uma conquista.

“O rap brasileiro está muito grande e batendo de igual pra igual com muitos gêneros que têm investimento muito maior nas plataformas digitais, e o rap tem um investimento menor e consegue bater de frente. Então eu acredito que já ta sendo o momento do rap e no futuro ele vai dominar ainda mais, vai ser um dos gêneros predominantes do Brasil.”

E pra quem não sabe, o Lollapalooza acontece em outros lugares também, como no Chile e em Chicago, se tornando um dos maiores festivais de música do mundo. Já tem até artistas brasileiros entrando no lineup das edições gringas, principalmente nomes do pop, como a Pabllo Vittar. A drag queen irá representar o nosso país nas edições do Chile e da Argentina e com certeza será um grande marco para a música brasileira e pra ela. Mas ainda há um preconceito dentro do próprio Brasil com a música nacional, principalmente com o rap, e o PK disse que os artistas estão trabalhando duro para diminuir isso.

“Os artistas de rap aqui no Brasil ainda sofrem muito preconceito por causa do gênero, até pelo lado da cultura pop. A cultura pop brasileira tende a diminuir os artistas brasileiros para aumentar os gringos. Mas a gente quer que isso diminua, a gente vai trabalhar pra isso diminuir.”

E além do Lolla, a agenda do carioca está cheia. No dia 16 de fevereiro, ele vai participar do bloco de Carnaval da Luísa Sonza, em São Paulo, e está com muitos planos para essa época tão esperada e celebrada pelos brasileiros.

“Vamos fazer vários blocos! Vamos fazer o da Luisa, que é minha parceria. A gente gravou “Tudo de Bom”, foi maneiro fazer esse trabalho com ela, ela é uma pessoa maneira demais. E vamos estar lá quebrando tudo no bloco dela e em vários outros blocos pelo Brasil todo. A agenda de carnaval ta lotada!”

Assim que é bom, começar o ano cheio de trabalho e fazendo o que gosta. Na última sexta-feira (7), o PK lançou mais uma parceria e dessa vez é uma que promete ser hit do Carnaval. Junto com a Tati Zaqui eles lançaram um brega funk, a “Escandalosa”, pelo canal do Kondzilla. Mas o ano só começou e ele contou o que mais está planejando para 2020.

“Eu quero lançar um EP de trap pra matar a saudade de um pessoal mais antigo que me acompanha, porque eles me cobram bastante. E já tá vindo um clipe ai Filipe Ret, Orochi e PK, acho que em fevereiro sai. Já gravamos o clipe, tá brabo, ta vindo pesado. Por enquanto a gente tem essas, mas vai vir muita coisa ainda.”

Claro que nós já queremos todos esses lançamentos na nossa mesa e vamos acompanhar de pertinho cada passo do PK. Mas o que mais estamos ansiosos é para o show do Lollapalooza porque esse realmente é um grande passo na carreira de qualquer artista, e como somos fãs de carteirinha, estaremos lá na grade!

Se você, assim como a gente, está louco para curtir o Lolla, garanta já o seu ingresso clicando AQUI! Quem sabe a gente não se encontra por lá e aproveita o show juntos?

Leticia Annes

Editora do Febre Teen Insta/Twitter: @le_annes

Não há comentários ainda

Comentários

Seu email não será publicado.